Controle pela conseqüência: aspectos conceituais e teóricos controversos

Contenido principal del artículo

Cristiano Valério dos Santos
Maria Helena Laite Hunziker

Resumen

Entender o controle pelas conseqüências é crucial para a compreensão do comportamento dos organismos como um todo, mas a identificação precisa de qual conseqüência é responsável pela manutenção do responder pode não ser tarefa simples. O presente trabalho teve por objetivo analisar as inter-relações entre duas formas de conseqüenciação possíveis – reforçamento positivo e negativo – comparando as relações funcionais obtidas com cada um desses processos. Para tanto, foi realizada uma revisão das principais hipóteses teóricas propostas para explicar o comportamento de esquiva (teoria de dois fatores versus teoria da redução da densidade de choques), com o objetivo de ilustrar a controvérsia existente na determinação da conseqüência precisa que o mantém. Além disso, foram discutidos possíveis aspectos aversivos em contingências de reforçamento positivo e foi realizada uma comparação entre os padres comportamentais engendrados por contingências de reforçamento positivo e negativo. Essa análise leva à conclusão de que é necessária uma distinção entre processos comportamentais com base em seus efeitos diferenciais e não em critérios meramente operacionais.

Detalles del artículo

Cómo citar
Valério dos Santos, C., & Laite Hunziker, M. H. (2010). Controle pela conseqüência: aspectos conceituais e teóricos controversos. Acta Comportamentalia: Revista Latina De Análisis Del Comportamiento, 16(2). Recuperado a partir de https://journals.unam.mx/index.php/acom/article/view/18108