o Jato de Ar Quente como Estímulo Aversivo: Efeitos Supressivos da Exposição Prolongada em Rattus Norvegicus

Contenido principal del artículo

Marcus Bentes de Carvalho Neto
Thrissy Collares Maestri
Elzelis Santiago Rodrigues de Menezes

Resumen

Em estudos sobre contingências aversivas o choque elétrico é o estímulo mais sistematicamente utilizado, o que dificulta a generalização dos resultados. Nesse estudo a a função punitiva de um jato de ar quente (JAQ) foi avaliada em dois experimentos. O Experimento I avaliou o efeito da exposição prolongada, com Punição Contínua ou Punição Intermitente. Utilizaram-se seis ratos albinos divididos em dois Grupos: Punição Contínua (fêmeas) e Punição lntennitente (machos). Cada grupo foi exposto a cinco sessões iniciais de fortalecimento da resposta de pressão à barra, consequencida com água, 10 sessões de apresentação do JAQ como conseqüência simultânea à apresentação de água e uma última sessão de recondicionamento. O JAQ funcionou como punidor nos dois esquemas e a supressão foi maior sob Punição Contínua do que sob Punição Intermitente. Respostas relacionadas com a resposta punida foram igualmente suprimidas. Os efeitos supressivos desapareceram quando a punição foi interrompida. O Experimento II replicou o Experimento I, usando apenas ratos machos e estendendo a fase de punição para 20 sessões. Os resultados de ambos os experimentos são compatíveis com os obtidos com choque elétrico. O estudo sugere que o equipamento usado e o jato de ar quente constituem uma alternativa metodológica promissora para a pesquisa sobre controle aversivo.

 

Detalles del artículo

Cómo citar
de Carvalho Neto, M. B., Collares Maestri, T., & Rodrigues de Menezes, E. S. (2009). o Jato de Ar Quente como Estímulo Aversivo: Efeitos Supressivos da Exposição Prolongada em Rattus Norvegicus. Acta Comportamentalia: Revista Latina De Análisis Del Comportamiento, 15(2). Recuperado a partir de https://journals.unam.mx/index.php/acom/article/view/14519